header_blog-1.png

World Vision prevê a crescente migração da Venezuela

 

Devido à instabilidade política:

VISÃO MUNDIAL PREVÊ A CRESCENTE MIGRAÇÃO DA VENEZUELA:
- 460.000 crianças requerem ajuda humanitária urgente
- Recursos financeiros são necessários para prover alimentação, medicamentos, proteção e assistência legal às famílias

Mais de 4 milhões de pessoas têm abandonado a Venezuela desde 2015, de acordo com a Organização das Nações Unidas. Mas a World Vision prevê que esse número aumentará vertiginosamente à luz dos recentes acontecimentos políticos e à persistente instabilidade nesse país sulamericano.

“Diariamente, 35.000 pessoas saem da Venezuela, mas a escassez de alimentos, remédios e a insegurança estão pressionando mais e mais famílias que já têm um acesso limitadíssimo a bens e serviços”, afirmou João Diniz, Líder Regional da World Vision para América Latina e Caribe.

Aproximadamente, 460.000 crianças que saíram da Venezuela estão vivendo de maneira temporal ou permanente nos países vizinhos e requerem urgentemente ajuda humanitária incluindo proteção, refúgio, acesso a serviços básicos de alimentação, saneamento, saúde e outros elementos essenciais para resguardar suas vidas.

Os governos locais fazem grandes esforços para atender à crescente demanda por bens, serviços e infraestrutura para ajudar migrantes e refugiados da Venezuela, mas estes são insuficientes. Portanto, a World Vision recomenda recursos de cooperação e indivíduos para melhorar a assistência em três áreas prioritárias: 1. Assistência humanitária imediata, 2. Proteção à criança e 3. Inclusão sociocultural. Todos os componentes têm um enfoque de gênero, reconhecendo que crianças e mulheres são comumente as mais vulneráveis à exploração sexual e laboral e ao tráfico de pessoas associadas ao êxodo em massa. Por suas dimensões, a crise migratória e de refugiados venezuelanos é considerada a maior crise humanitária que tem enfrentado o hemisfério ocidental e é comparada com a situação que vive a Síria.

Considerando essa situação, a World Vision está fornecendo assistência a famílias de migrantes e refugiados na Colômbia, Equador, Peru e Brasil. “Já investimos mais de US$ 1,5 milhão para garantir kits de higiene, alimentos, remédios e abrigo. Além disso, instalamos Espaços Amigáveis para Crianças (EAC), onde fornecemos suporte psicossocial e espaços de amamentação abertos. No entanto, as soluções de longo prazo exigem a reintegração das crianças nos processos educativos e a integração das famílias migrantes e comunidades de acolhimento para criar melhores condições de convivência”, explicou o Líder Regional, João Diniz.

No Brasil, a WV oferece suporte diário a 150 pessoas para obter documentação que contribua para sua regularização. Da mesma forma, as famílias recebem kits de higiene para prevenir doenças e melhorar as condições de saúde daqueles que fizeram longas viagens por semanas - principalmente por terra e em condições adversas. Além disso, pelo menos seis EACs foram ativados na comunidade de fronteira de Roraima.

No Equador, migrantes e refugiados recebem assistência por meio de transferências financeiras - tanto em Quito quanto em cidades fronteiriças, para que as famílias possam comprar alimentos e remédios. Os pais e cuidadores de crianças recebem posteriormente treinamento em habilidades de negócios, a fim de garantir uma fonte de renda segura para suprir as necessidades básicas do grupo familiar.

Na Colômbia, que acumula 1,1 milhão de pessoas da Venezuela, a World Vision instalou o EAC para receber crianças afetadas pelo processo de migração. Com o apoio de organizações religiosas (FBO), está facilitando processos de integração sociocultural e assistência às famílias para protegê-los das redes de tráfico e exploração que os assombram. “Investir no bem-estar de todas as crianças, independentemente de sua nacionalidade, previne conflitos sociais no futuro e melhora suas oportunidades a longo prazo”, acrescentou João Diniz.

No Peru, a World Vision concentra seu trabalho na cidade fronteiriça de Tumbes. Além de alimentos, meios de subsistência e remédios, os migrantes recebem assistência legal para obter sua documentação, enquanto realizam atividades com líderes comunitários e igrejas para evitar a xenofobia e a exploração.


* Comunicado à Imprensa emitido sobre a Crise de Migrantes e Refugiados na Venezuela e a resposta da World Vision America Latina y el Caribe.