Visão Mundial retoma atividades em barco no Amazonas para atender população vulnerável em comunidades ribeirinhas

Chegar a populações ribeirinhas e que moram em comunidades isoladas na Amazônia sempre foi um desafio, em especial para equipes de saúde. Em meio à crise sanitária causada pela COVID-19, a Visão Mundial, em parceria com a Igreja Presbiteriana de Manaus, retoma os atendimentos de urgência e emergência de saúde e odontológicos no barco hospital. A primeira viagem, que irá atender 6 comunidades do Lago do Sacambu, acontece de 6 a 10 de julho.

No barco hospital, serão promovidas ações de saúde, realizados atendimentos médico e odontológico de urgência e emergência, assim como palestras de prevenção à COVID-19 e entrega de materiais de higiene oral, kit de higiene e proteção, cestas básicas e kits ternura. Algumas palestras também irão abordar a identificação, a denúncia e a prevenção da violência contra crianças e adolescentes. O barco sai de Manaus na segunda-feira, 6, em direção ao Lago Sacambu – que fica a cerca de 12 horas de viagem da capital, subindo o Rio Solimões. Já no domingo atende a duas comunidades às margens do lago – Boa Vista e Botafogo. Nos quatro dias seguintes, serão atendidas as comunidades de São Paulo, Águia. Vasco e Grêmio, todas nas margens do Lago Sacambu. Ao final do dia 10, logo após o atendimento da última comunidade, o barco retorna a Manaus, chegando nas primeiras horas do dia 11 à capital. Mais duas viagens estão garantidas até setembro, mas ainda sem data confirmada.

“Historicamente, as populações ribeirinhas sofrem com as dificuldades de acesso a serviços básicos de saúde. O estado do Amazonas é hoje um dos que mais tem sofrido com a pandemia de COVID-19, com a doença avançando cada vez mais para as áreas distantes da capital. Nosso objetivo é reforçar as ações de prevenção da doença nessas comunidades mais vulneráveis”, conta a articuladora da Visão Mundial no Amazonas, Maria Lucinete Trindade Bezerra. “São comunidades que vivem isoladas e que, por isso, muitas vezes também sofrem com a violência contra crianças e adolescentes. Por isso estamos trazendo esse tema junto, com nossas palestras, para que as pessoas saibam identificar, denunciar e prevenir diferentes formas de violência”, comenta.

O objetivo da Visão Mundial é promover oportunidades para a transformação das vidas das famílias na região amazônica com a ajuda de voluntários, a fim de contribuir para a melhoria da qualidade de vida das populações vulneráveis que vivem no Amazonas. O Barco Solidário, como também é conhecido, em função da pandemia, conta com uma equipe reduzida à metade – serão 17 pessoas entre médico, dentista, enfermeiro, técnico de enfermagem, tripulantes e voluntários, além de uma farmácia completa. A equipe irá realizar atendimentos de saúde, diagnóstico social nas comunidades, palestras educativas, que falam sobre prevenção do coronavírus, cuidados com a higiene, prevenção à violência doméstica e exploração sexual. São ações educativas interdisciplinares que promovem a cidadania e melhoria na educação, resgate a autoestima, inclusão social, saúde e sustentabilidade.

“Todo procedimento será de acordo com as normas da Organização mundial da Saúde OMS. As palestras serão com grupos pequenos, com duração de 20 minutos, em espaços abertos e mantendo distanciamento social”, reforça Andrea Freire, gerente de operações de emergência da Visão Mundial.

A ONG também fará a distribuição de materiais às pessoas atendidas. Serão 600 kits de higiene oral (com 2 escovas de dente, 2 cremes dentais e 1 fio dental); 600 cestas básicas; 600 kits de proteção e higiene; e 1.200 Caixas de Ternura (com os materiais lúdicos e educativos, cartilha de identificação e combate à violência sexual contra crianças e adolescentes, e informativo sobre prevenção e identificação de sintomas da COVID-19).

“Esse projeto levará alimentos, atividades preventivas, material de higiene e prevenção ao COVID-19, informações acerca da doença e cuidados para com as crianças e adolescentes que estão fora da escola devido a pandemia. A entrega dos Kits Ternura será um diferencial na vida das crianças. São materiais educativos, recreativos e que incentivam a interação da família em tempos de isolamento social”, conclui Freire.

O barco
Desde 2009, cerca de 6 mil pessoas por ano são atendidas em aproximadamente 80 comunidades ribeirinhas do estado do Amazonas. Cada viagem do barco é muito custosa – uma viagem de 5 dias custa em média R$30 mil, sem contar gastos com remédios e insumos levados para a comunidade. Só o seguro do barco são R$25 mil anuais. Pelo site http://doe.vc/amazonvida as pessoas podem conhecer a ação do barco de acordo com os padrões de gestão e transparência.

Assista ao vídeo abaixo e conheça um pouco mais sobre a iniciativa (imagens gravadas antes da pandemia):