Visão Mundial alerta que pandemia de COVID-19 poderá aumentar índices de trabalho infantil na América Latina

O empobrecimento de milhões de famílias na América Latina, agravado pela queda nas economias causada pela pandemia de COVID-19, aumentará os índices do trabalho infantil. O alerta foi dado pela Visão Mundial no contexto do Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, lembrado neste 12 de junho.

Antes da pandemia, 72 milhões de crianças na América Latina e Caribe viviam na pobreza e 10,5 milhões sofriam diretamente de trabalho infantil – o que representa 7,3% das crianças com idade entre 5 e 17 anos, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Metade dessas crianças (52%) realiza trabalhos em áreas rurais, de acordo com a agência da ONU.

A Visão Mundial argumenta que o trabalho infantil é uma manifestação de violência que priva as crianças de continuar seus processos educacionais e prejudica suas capacidades de interação social, privando-as de brincar. A prática também aumenta os riscos à saúde e aumenta as chances dessas crianças permanecerem abaixo da linha da pobreza ao longo de toda a vida.

“A enorme perda de empregos e meios de subsistência vivenciada por milhões de famílias na região devido à pandemia de COVID-19 ameaça as famílias mais pobres, que encontram no trabalho infantil uma estratégia de sobrevivência”, adverte João Diniz, líder Regional da Visão Mundial para América Latina e Caribe.

“Nos anos anteriores, fizemos progressos que reduziram – não eliminaram – o trabalho infantil. Mas a deterioração social e econômica que esta crise antecipa estimulará muitas famílias a retirar seus filhos da escola devido à incapacidade de pagar por seus estudos e fornecer-lhes comida. Por outro lado, muitos setores buscarão nas crianças e adolescentes mão de obra barata para reduzir seus custos operacionais”, acrescenta Diniz. “Devemos evitar essa situação antes de condenar toda uma geração afetada por essa crise à pobreza.”

Por setor, agricultura, serviços e indústria mostram as maiores porcentagens de trabalho infantil, de acordo com a OIT. A Visão Mundial sustenta que, neste momento, é essencial fortalecer os sistemas de proteção para que incluam leis, instituições, normas e orçamentos eficazes que garantam o respeito pelos direitos das crianças.

“O trabalho infantil é uma forma particularmente perigosa de violência, porque é socialmente aceito em muitos contextos. No entanto, qualquer atividade que iniba o desenvolvimento natural de meninos e meninas de acordo com a idade é prejudicial “, lembra Diniz.

A Visão Mundial teme que na América Latina, onde prevalece o emprego informal, haja um aumento de meninos e meninas ligados às vendas nas ruas, e até mesmo aqueles forçados a esquemas de escravidão e mendicância. “A crise causada pelo COVID-19 é um terreno fértil perigoso para essas atividades”, conclui Diniz.