Aílton: “Graças a Deus, é com essa cesta básica que a gente está se mantendo aqui em casa”

João Pessoa já foi considerada uma das capitais com os melhores índices de desenvolvimento humano do Nordeste do Brasil. Com uma população estimada em menos de 1 milhão de habitantes, é hoje o principal centro econômico do estado da Paraíba, mas tem sofrido com os efeitos econômicos causados pela pandemia. Nos bairros mais pobres e mais populosos, como o Bairro dos Novais, as consequências do desemprego são mais evidentes. Com a falta do trabalho, o número de famílias que passa a depender das doações aumenta. É nesse contexto que vive Aílton e sua família.

Antes da pandemia, Ailton já tinha uma vida difícil fazendo bicos. Desde que a cidade começou a registrar os primeiros casos de infecção e óbitos por Covid-19, o isolamento social necessário fez com que ele parasse todas as atividades que lhe rendiam algum dinheiro. Há quatro meses sem serviço, ele conta com doações para alimentar a filha Jamilly, de 5 anos, cuidar da esposa, que está grávida de quatro meses, e da sogra, que é acamada. “Minha sogra está doente, não é aposentada. Tudo sou eu e a minha esposa quem faz aqui dentro de casa”, conta.

Há três meses, Jamilly, de 5 anos e filha de Aílton, está sem poder ir à escola (Foto: Thaís Simões / Visão Mundial Brasil)

Ainda no início da pandemia, quando os trabalhos começaram a sumir, Aílton soube que sua família havia sido escolhida para participar do programa da Visão Mundial em parceria com a XP Investimentos. “Eu soube que estavam distribuindo essa cesta básica através de uma vizinha, que é da igreja. Ela que veio aqui em casa comunicar a gente, pegar os dados para gente receber uma cesta básica por mês meses”, conta. “Essa cesta de alimentos ajuda bastante. Se não fosse ela, eu estaria passando fome, eu, minha filha e minha esposa. Mas graças a Deus, com isso a gente está se precavendo.”

Aílton e sua família fazem parte de um grupo de 3 mil famílias que foram apoiadas pela parceria entre a Visão Mundial e a XP Investimentos nos meses de abril, maio e junho. Em muitos municípios, como João Pessoa, a distribuição é feito por meio de organizações parcerias, como igrejas e projetos sociais, fazendo chegar a ajuda a quem mais precisa.

Assista ao vídeo abaixo e conheça um pouco mais sobre a família de Aílton:

Texto: Ana Luz / Visão Mundial Brasil
Fotos: Thaís Simões / Visão Mundial Brasil
Vídeo: Álvaro Júnior / Visão Mundial Brasil

Deixe uma resposta