Os “mais velhos” ganham destaque na série “Diálogos de Esperança”

Segundo Valdir Steuernagel, embaixador da Visão Mundial e moderador da série de lives, a crise causada pela Covid-19 estigmatizou os idosos e os mandou “ficar em casa” para logo perceber que saber ficar em casa é uma arte e uma vocação a ser aprendida. Lição levada à sério pela convidada da oitava live da série Diálogos de Esperança, Lieselotte Hedderich, de 79 anos.

“Lilo”, como ficou conhecida pelos Brasileiros, nasceu na Alemanha e em 1965 veio para o Brasil como missionária. Aqui, ela trabalhou como enfermeira, fundou um internato feminino, estruturou o hospital da comunidade de Mondaí, SC. Da vida na Alemanha, traz a memória da dura infância durante a segunda guerra, fugas com a mãe, ausência do pai que foi servir como combatente e a consciência das inúmeras perdas. “A minha infância me capacitou para ter força para enfrentar o hoje com gratidão”, afirma Lilo que desde 1992 é responsável pela Casa da Esperança, em Mondaí, onde acompanha retiros de silêncio. Para Lilo, a pandemia, assim como no pós-guerra, trouxe memórias sobre o exercício da solidariedade, do compartilhar e a humildade para aceitar a ajuda. Lições que ela compartilha com muita sensibilidade e sabedoria ao longo da live.

Dentre os diversos assuntos, Lilo destaca a importância de saber envelhecer reconhecendo o papel dos mais velhos na formação das novas gerações. “Quem conta a história? Quem guarda a cultura? Quem passa adiante? ” Ela pergunta e acrescenta ainda que, na tradição bíblica, os idosos exercem o papel de “pais e mães espirituais” e afirma que “precisamos aprender a ser mães e pais em Cristo, guardar sigilo, ser abertos e sem julgamento. O que acontece na terceira idade é que eu começo a ‘refalar’ da minha história. Hoje eu vejo muitas coisas que aconteceram na vida dos meus pais com olhos diferentes e eu noto como a misericórdia transcende sem julgamento”. Ao comentar a participação de Lilo, Silêda Steuernagel, que ao lado de Valdir conduziu a live, lembra do “Salmo da velhice”, referindo-se ao Salmo 71 e parafraseia: “Deus, quando os meus cabelos ficam brancos e eu vou perdendo a minha força, não me abandones e me dê forças para que eu possa falar aos meus filhos e aos filhos dos meus filhos, sobre a Tua força às nova gerações”.

A live trouxe ainda breves depoimentos de pessoas que são referências para para a igreja brasileira pelo trabalho com a terceira idade, como Mauro Hanter – Diretor dos Abrigos para idosos da Convenção Batista Pioneira; Janine Cassiano – ministra da Maturidade na PIB de Goiânia e o psiquiatra e filósofo Dr. Uriel Heckert.

A próxima live do Diálogos de Esperança traz o tema do “luto recorrente” na pandemia e convida o psicólogo e pastor Estevam Fernandes, a missionária da One Challenge Internacional Carolina Velloso para conversar sobre o assunto. O cantor e compositor Silvestre Khulmann fará uma participação musical.

A série de lives é uma iniciativa da Visão Mundial em parceria com Tearfund, Aliança Evangélica e Editora Ultimato, e acontece todas as terças-feiras às 16h pelo Canal da Editora Ultimato no YouTube de forma interativa. A audiência participa enviando perguntas por meio do chat e, a cada edição, a Editora Ultimato presenteia a audiência com um livro relacionado ao tema da semana, sorteado ao final da Live.

Para assistir todas as lives e participar, acesse: https://www.youtube.com/EditoraUltimato. Ou clique aqui para assistir às demais lives da série Diálogos de Esperança.

Texto: Ana Luz / Visão Mundial
Imagens: Lieselotte Hedderich / Valdir Steuernagel / Silêda Steuernagel