Ao lançar maior resposta humanitária de sua história, World Vision adverte que pandemia de COVID-19 pode reverter 30 anos de progresso na redução da pobreza

A World Vision alertou nesta terça-feira (5) que, a menos que a comunidade internacional responda imediatamente e priorize os mais vulneráveis do mundo na luta contra a COVID-19, um enorme progresso que foi feito para salvar vidas e reduzir a pobreza nos últimos 30 anos será revertido. As crianças podem sofrer o impacto direto e as taxas de mortalidade infantil, que haviam sido reduzidas à metade desde 1990, agora podem começar a aumentar novamente. Esse alerta foi dado no mesmo dia que a agência internacional lançou a maior resposta humanitária em seus 70 anos de história para conter a impacto de COVID-19 entre 72 milhões de pessoas – metade delas crianças. Na América Latina, a resposta alcançará 5 milhões de crianças em situação de vulnerabilidade.

“Nunca testemunhamos uma emergência desta escala, que afeta tantos países por vez. Pela primeira vez, estamos transformando nosso enfoque em cada país em uma resposta de emergência, de tal forma que possamos apoiar aqueles que são mais vulneráveis frente a este vírus mortal e suas consequências” afirmou o Presidente e CEO da World Vision Internacional, Andrew Morley.

A organização global e humanitária, focada na infância, está lançando uma resposta de US$ 350 milhões com o objetivo de apoiar pessoas e comunidades mais vulneráveis do mundo e combater os impactos da COVID-19. A ambiciosa resposta humanitária será executada em mais de 70 países onde serão mobilizados 37 mil funcionários, 400 mil líderes religiosos e 220 mil trabalhadores da saúde para apoiar iniciativas de prevenção e resposta. Na América Latina, a World Vision opera em 15 países e alcança mais de 400 comunidades

“A World Vision está profundamente preocupada de que os impactos da COVID-19 possam marcar permanentemente o desenvolvimento de uma geração de crianças mais vulneráveis do mundo. Desde 1990, o número de crianças que morrem por causas evitáveis como a fome e as enfermidades reduziram mais da metade. A não ser que a comunidade internacional priorize os países que estão em maior risco a longo prazo, esta pandemia deixará milhões de crianças mais pobres, mais famintas, mais doentes, menos educadas e mais expostas à violência e ao abuso”.

A World Vision adverte que muitos países de baixa renda agora estão entrando na próxima fase da pandemia, uma fase extremamente perigosa para os mais vulneráveis do mundo, que lutam contra o confinamento e se veem obrigados a escolher entre expor-se ao vírus ou morrer de fome.

A pandemia já impactou os países mais ricos mundo, e agora as crianças mais vulneráveis estão na linha de frente, com poucos recursos para protegê-la. Nesta próxima fase, a COVID-19 pode se propagar rapidamente nas regiões mais pobres, frágeis e perigosas do planeta; lugares onde os serviços de saúde especializados são quase inexistentes e onde o distanciamento social é muito complicado de ser cumprido por pessoas que vivem o dia-a-dia em campos de refugiados, favelas e assentamentos.

A World Vision faz um chamado aos líderes mundiais que agora estão focando em responder ao impacto que a COVID-19 tem causado à economia, de tal forma que deem a mesma prioridade para enfrentar o impacto a longo prazo que a doença terá nas pessoas mais vulneráveis do mundo.

“Estamos lançando a maior resposta de emergência da nossa história, mas nem a World Vision nem outras agencias de ajuda humanitária podem combater sozinhas os impactos da COVID-19. Desafiamos governos, pessoas, empresas e todos aqueles que amam e se importam com as crianças a fazer muito mais para limitar a propagação da COVID-19 em países de baixa renda e a proteger a infância das consequências devastadoras que o vírus pode criar. Temos apenas uma oportunidade para fazer com que isso aconteça. Devemos nos uni e responder a esta pandemia global, apoiando a todos os afetados no mundo, especialmente os mais vulneráveis. Seguindo os passos de Jesus, devemos apoiar a quem mais necessita – estamos sendo chamados a ajudar”, ressalta Morley.

Clique aqui para ter acesso à Fase 2 do Plano de Resposta à Emergência da COVID-19 da World Vision (em inglês)