Samila: do Brasil para Bruxelas pelo fim da violência contra crianças e adolescentes

A adolescente Samila Ferreira, 15 anos, viveu dias de sonho para toda menina que mora na periferia de uma grande cidade. Em junho passado, ela representou a Visão Mundial em Bruxelas (Bélgica), onde participou do encontro EDD 19 – Dias Europeus de Desenvolvimento (European Development Days)

Samila é integrante do MJPOP (Monitoramento Jovem de Políticas Públicas), desenvolvido pela Visão Mundial em Fortaleza. Junto a um grupo de nove adolescentes, ela realizou uma pesquisa sobre preconceito, discriminação, exclusão, racismo, desigualdade de gênero e LGBTfobia. No EDD19, Samila apresentou o estudo para um público de 5.000 pessoas, ganhando o comprometimento da comunidade de garantir mais espaço de fala para meninas e meninos em situação de vulnerabilidade social.

Organizado pela Comissão Europeia, o EDD é o principal fórum de desenvolvimento social da Europa e reuniu mais de 100 líderes globais de 150 países, além de influenciadores, pesquisadores e estudantes do mundo inteiro. O objetivo do evento, que teve como tema “Abordar as desigualdades: Construir um mundo que não deixa ninguém para trás”, foi partilhar ideias, experiências e inspirar novas parcerias e soluções inovadoras para os desafios urgentes do mundo. 

No Brasil, Samila participou do projeto “Jovens Investigadores” (Child-Led Research) da World Vision International, uma pesquisa liderada por crianças e jovens que já aconteceu simultaneamente em Bangladesh, Chile, Gana, Romênia e Sri Lanka.

“Foi incrível apresentar minha pesquisa e representar os jovens do MJPOP, da minha escola e da minha comunidade. Meus planos para o futuro são levar todo o conhecimento que aprendi no EDD19 e criar métodos para reduzir a desigualdade social e a violência contra crianças e adolescentes”, contou Samila, após sua participação no encontro europeu.

Samila Ferreira representou o trabalho da Visão Mundial com mais duas adolescentes: Teodora, da Romênia, e Serafina, do Gana. Em Bruxelas, esse trio de jovens empoderadas deu voz a meninas e meninos que sofrem os mais diversos tipos de preconceito ao redor do mundo.

A liderança de Samila nos inspira especialmente neste Dia Internacional da Menina, pela sua iniciativa em mobilizar centenas de jovens, e convocar líderes internacionais para o fim da violência contra crianças e adolescentes.

Deixe uma resposta