Venezuela não pode esperar

Chamado urgentemente frente ao Fórum Político de Alto Nível:

  • ACNUR estima que até 2020, 6,5 milhões de pessoas teriam deixado o país, superando o deslocamento causado pela crise na Síria
  • 3,2 milhões de crianças necessitam de assistência urgente em nutrição, acesso à saúde e proteção, de acordo com o Plano de Resposta Humanitária
  • A Venezuela e os países vizinhos absorvem o “choque da crise” com muito pouco apoio internacional
  • World Vision pede urgentemente o financiamento da resposta que ajudará as crianças na Venezuela e as pessoas que migraram

A crise na Venezuela causou o êxodo maciço de 4,5 milhões de pessoas e estima-se que no próximo ano será de 6,5 milhões de pessoas, segundo o ACNUR. O pedido de ajuda não pode esperar mais. A gravíssima situação interna, juntamente com o tremendo impacto que esse deslocamento está causando nas nações vizinhas, requer atenção urgente, alertou a organização humanitária e cristã, World Vision.

“Por meio de nossa extensa rede humanitária em nível regional, notamos as lamentáveis privações de nutrição, saúde, educação básica e proteção às crianças afetadas pela crise na Venezuela”, disse Fabiano Franz, diretor da resposta humanitária da World Vision para esta emergência.

World Vision beneficiou mais de 175.000 crianças afetadas pela situação de imigração na Venezuela em uma operação multinacional estabelecida na Colômbia, Equador, Peru, Brasil, Chile e Bolívia. As ações de resposta em coordenação com parceiros da sociedade civil, governos e igrejas, incluem o estabelecimento de 26 Espaços Amigáveis para as crianças, focados em sua proteção, apoio psicossocial e a prestação de assistência em dinheiro a mais de 13.000 famílias migrantes, para garantir acesso à nutrição, abrigo, transporte e comunicação para as famílias migrantes e seus filhos.

“As necessidades são enormes, a Venezuela e os países vizinhos absorvem o choque dessa crise de imigração com muito pouco apoio internacional. Se não agirmos imediatamente, enfrentaremos o risco iminente de perder outra geração na América Latina: uma que crescerá com acesso limitado a alimentos, com seus processos educacionais interrompidos e enfrentando a punição odiosa à discriminação e à xenofobia. É um risco que nem o mundo nem a região podem correr”, afirmou João Diniz, líder regional da World Vision América Latina e Caribe.

Apesar de ser a maior crise humanitária, superada apenas pela Síria, a resposta a esta situação é severamente subfinanciada. Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), para prestar apoio a refugiados e migrantes da Venezuela na região, durante 2020 serão necessários US$ 1.350 milhões (1). Por sua vez, o Plano de Resposta Regional de 2019 obteve apenas 50% dos recursos necessários para fornecer ajuda humanitária, ou seja, US$ 337 milhões (2). Isso não inclui os recursos urgentemente necessários para prestar assistência humanitária àqueles que permanecem na Venezuela.

Esta semana, no âmbito do Fórum Global sobre Refugiados, a World Vision pede ações urgentes. É hora de acordar: enquanto o mundo toma decisões, a vida das crianças está em risco e seus sonhos desaparecem. Exortamos todos os Estados a apoiarem os pedidos das Nações Unidas para financiar a assistência humanitária necessária para a crise na Venezuela. Também pedimos que você se una em oração pelas crianças venezuelanas. Junte-se, a infância não pode esperar mais.

Esta semana, no âmbito do Fórum Global sobre Refugiados, a World Vision pede ações urgentes. É hora de acordar: enquanto o mundo toma decisões, a vida das crianças está em risco e seus sonhos desaparecem. Exortamos todos os Estados a apoiarem os pedidos das Nações Unidas para financiar a assistência humanitária necessária para a crise na Venezuela. Também pedimos que você se una em oração pelas crianças venezuelanas. Junte-se, a infância não pode esperar mais.

(1) UNHCR Press Release, 13 de Novembro de 2019
https://www.unhcr.org/en-us/news/press/2019/11/5dcbd7284/us135-billion-needed-help-venezuelan-refugees-migrants-host-countries.html

(2) OCHA Financial Tracking Service, 16 de Dezembro de 2019 https://fts.unocha.org/appeals/overview/2019