World Vision pede urgência para impedir a propagação do Coronavírus nos países vulneráveis e em risco

A agência humanitária internacional World Vision instou os países com sistemas de saúde robustos a apoiar aqueles em que as crianças e suas famílias experimentam pobreza, conflitos sociais e armados, deslocamentos migratórios e vulnerabilidades de saúde, a fim de impedir a disseminação adicional do coronavírus.

A petição surge após a declaração internacional de emergência emitida na última quinta-feira, 30/01, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o que implica um aumento no risco de transmissão deste vírus com risco de vida.

“Expressamos nossa profunda preocupação com os países que possuem sistemas de saúde vulneráveis, cuja capacidade hospitalar e assistência médica, enfermeiros e sistemas de monitoramento são limitados. Muitos desses países passam por conflitos, têm lacunas de governança e defasagens em seus níveis de desenvolvimento”, disse Tom Davis, Líder Global de Nutrição e Saúde da World Vision. “Se o vírus chegar a esses países, será muito mais difícil controlá-lo. Eles precisam de apoio técnico e financeiro urgente para a prevenção”.

Embora as pessoas saudáveis ​​sejam mais propensas a se recuperar da infecção, sabe-se que adultos mais velhos e pessoas com condições crônicas pré-existentes são muito mais suscetíveis ​​ao desenvolvimento de condições mais graves ou até à morte pelo vírus. Migrantes e refugiados, aqueles forçados a se mudar para áreas densamente povoadas, tanto nas áreas rurais quanto nas urbanas, vivem em espaços onde o vírus pode se espalhar rapidamente.

Em vários países onde operamos, existem altos níveis de desnutrição, malária, HIV, AIDS, tuberculose e diarréia, o que aumenta a vulnerabilidade das populações ao vírus, acrescentou Davis. “É imperativo interromper o avanço transfronteiriço do vírus nos países mais vulneráveis, devido ao grande impacto nas populações. É necessário um apoio ágil e oportuno da comunidade internacional para proteger essas populações”, acrescentou.

A declaração da OMS foi elaborada para alertar os países e desencadear a identificação, isolamento e tratamento das pessoas afetadas pelo vírus; também para impedir a transmissão e apoiar outros países que têm sistemas de saúde vulneráveis.

World Vision tem uma vasta experiência no tratamento de alertas de saúde, incluindo o vírus Ebola na África Ocidental (2014) e na República Centro-Africana do Congo (2019) e o vírus Zika na América Latina em 2016. Durante esses episódios, a World Vision trabalhou em conjunto com autoridades locais de saúde, organizações religiosas e uma rede de mais de 200.000 profissionais de saúde infantil para educar e combater os efeitos de rumores e desinformação, fazer diagnósticos e contribuir para a proteção de crianças, adolescentes e famílias impactadas por esses males. Os casos citados acima também foram declarados em alerta pela OMS.

World Vision está monitorando a propagação do vírus na Ásia e na América Latina e já está trabalhando para responder adequadamente e apoiar os esforços do governo. Nosso foco será garantir que as comunidades e crianças que servimos sejam devidamente informadas sobre como prevenir o coronavírus.